Projeto Crescer - Associação Pio Lanteri

11 4527-1155 / 4526-1759

adm@projetocrescer.org.br

Quem já passou pelo Projeto

Neste espaço de nosso site destacaremos depoimentos daqueles que já passaram pelo Projeto Crescer.

Julimar, 19 anos

Meu nome é Julimar Rodrigues de Souza Alcantara, tenho 19 anos, participei do Projeto Crescer (que na época adotava o nome de Pastoral do Menor e posteriormente, Associação Pio Lanteri) dos 7 aos 15 anos, sendo que quando entrei na adolescência começara a corrida para o mercado de trabalho.

Comecei a trabalhar no Seminário Pio Lantéri com 15 anos, junto ao Senac, graças ao apoio da Irmã Esmeria e do Padre Bento Pavão. Atualmente, estou cursando Psicologia no centro Universitário Padre Anchieta. Sai do seminário em julho deste ano e começarei a estagiar no inicio do ano que vem.

O Projeto Crescer mudou a minha vida e em especial o Padre Bento que durante todos esses anos me ajudou e me apoiou em todas as minhas escolhas e em todas as minhas conquistas e vitórias.

 


 

Rodrigo, 21 anos

Olá, meu nome é Rodrigo Ferreira de Moraes e cá estou para falar da atuação do Projeto Crescer em minha vida.

Aos onze anos de idade, eu entrara para o projeto. Ainda franzino, tímido e sem sonhos. Recordo-me que ingressar em suas atividades era comemorado com muito vigor, em especial pelos pais, pois estariam tranqüilos ao saírem de casa para as jornadas de trabalho. No entanto, mal sabiam eles que além da ocupação diária que nos era proporcionada, estávamos construindo sonhos, um novo mundo e porque não dizer uma nova vida.

Um menino sem perspectivas maiores, subindo e descendo as ladeiras dos morros do bairro Jardim São Camilo correndo atrás de uma bola de futebol, porém com a atuação do Projeto tudo mudara: O lindo gramado verde que via através da televisão se transformara em novos caminhos, as traves ali vistas pelas telinhas tornaram-se rumo certo e a rede balançando ao gol... Oportunidade.

Era eu... Agora era eu que me arrumava e me preparava nos vestiários interiores para jogar. Cada atividade desenvolvida era uma jogada. Cada voluntario, orientador e/ou professor era a correção necessária, os melhores ensinamentos ali ministrados. O projeto me fez vestir a camisa, entrar no campo da vida e de cabeça erguida cantar cada palavra do hino nacional.

Hoje, dez anos depois estou no time dos sonhadores. O campeonato da existência é bem duradouro, mas sei que para muitos foi bem curto (infelizmente). Tenho feito algumas jogadas inteligentes, conheço bem o adversário e para ele não jogarei.

Aos vinte e um anos de idade sou estagiário, cursando o quarto e último ano da Faculdade de Administração de Empresas, estudante da língua espanhola há um ano e Ator (em formação), formação essa iniciada no Projeto Crescer.

Os sonhos que aprendemos ter tomam formas diferentes. No entanto o que mais importa é ter a oportunidade de sonhar.